O que é o Método Mckenzie de Diagnóstico e Terapia Mecânica?

Simplicidade/ Profundidade/ Eficiência

Apesar do avanço tecnológico dos diagnósticos por imagem (ressonância magnética e tomografia computadorizada), da farta oferta de medicação e das variadas abordagens de tratamento para as dores na coluna, os pacientes continuam se queixando dos processos  prolongados e do retorno dos sintomas.

O Método McKenzie – MDT, criado pelo fisioterapeuta neozelandês Robin McKenzie, veio elucidar a verdadeira origem das dores na coluna e nos membros. Ao atacar a real causa desses distúrbios, o tratamento McKenzie demonstra que a maioria dessas dores é rapidamente reversível, sendo os sintomas abolidos em poucas sessões.

O método consiste em uma avaliação mecânica minuciosa dos movimentos da coluna  e dos membros com o objetivo de detectar a origem do distúrbio e, só então, aplicar o exercício reparador específico para cada problema.

Após a resolução desse problema (abolição de dor e de outros sintomas), os pacientes são reeducados e capacitados a atuar de forma preventiva, evitando, assim, novas crises.

Testes caros, como ressonância magnética e tomografia, são frequentemente desnecessários.

O autotratamento e a  independência do paciente são  características importantes desse método. O paciente é capaz de fazer os exercícios prescritos sem precisar ir ao setor de fisioterapia diariamente.

A abordagem McKenzie oferece condições para o paciente se tratar sem depender de medicação, calor, gelo, ultrassom, agulhas ou cirurgia.

Indicações

Cerca de 60% dos problemas de coluna são rapidamente reversíveis e podem ser eliminados em poucas sessões de fisioterapia.

A abordagem McKenzie oferece condições para o paciente se tratar sem depender de medicação, calor, gelo, ultra-som, agulhas ou cirurgia. É indicado não somente para o tratamento das dores da coluna e hérnias de disco, mas para qualquer tipo de lesão músculoesquelética dos membros como tendinites, distensões, bursites, artrose, lesões meniscais, etc.

  • Dores da coluna e dores irradiadas;
  • Hérnias de Disco (abaulamentos ou protusões discais);
  • Artrose das articulações (osteoartrose);
  • Lesões do esporte;
  • Dores nas articulações dos membros (( ombros, cotovelos, mãos, quadris, joelhos e pés);
  • Lesões agudas e crônicas dos músculos/tendões (rupturas parciais, tendinites, tendinoses, distensões, lesões do manguito rotador do ombro etc.);
  • Fasceítes e bursites;
  • Entorses;
  • Dor de cabeça de origem cervical (cervicogênica);
  • Distúrbios da ATM e dores faciais;
  • DORT/ LER e fibromialgias.

Vantagens do método

Tratamento rápido e eficaz: geralmente são necessárias poucas sessões para que o paciente sinta alívio dos sintomas. Por atuar na causa, o método é eficaz na resolução do problema.

Tratamento individualizado: o exercício prescrito é específico para cada paciente.

Caráter preventivo (auto–tratamento): o paciente, consciente do diagnóstico, é capacitado e estimulado a desenvolver ações preventivas que buscam evitar novas crises;

Reduz o índice de absenteísmo no trabalho: o paciente é estimulado a manter-se na atividade durante o tratamento;

Diminui a necessidade dos exames complementares (raios-X, ressonância magnética, tomografia computadorizada): pois permite uma avaliação confiável na determinação da fonte do problema.

Etapas do tratamento

1. Avaliação – diagnóstico mecânico
2. Classificação
3. Tratamento
4. Prevenção

Etapa 1. Avaliação

Consiste numa avaliação detalhada, na qual é anotada toda a história dos sintomas e o comportamento dos mesmos.

Logo após a tomada da história, são aplicados testes exclusivos do método. São testes com movimentos repetidos e posições mantidas que fornecem informações preciosas para que o terapeuta chegue a um diagnóstico da fonte da dor, possibilitando classificar o problema.

Etapa 2. Classificação

Os pacientes são classificados em três síndromes – Derangement Syndrome, Dysfunction Syndrome, Postural Syndrome – ou no grupo de OUTROS – um pequeno número de pacientes que não se enquadram em nenhuma das três síndromes e são identificados em subgrupos, tais como patologias graves, causas não mecânicas, a verdadeira dor crônica etc. Todas as síndromes e os subgrupos de OUTROS têm definições operacionais claras para permitir sua fácil identificação. Cada síndrome é tratada de uma forma individualizada e específica, com procedimentos mecânicos específicos, que incluem movimentos repetidos e posturas mantidas.

Etapa 3. Tratamento

Baseado nos dados obtidos com a avaliação, o terapeuta vai prescrever exercícios específicos  para o seu problema e orientar sobre as posturas que você deve adotar e as que precisará evitar temporariamente.

Se seu problema se apresentar de uma forma mais  complexa, o terapeuta certificado em MDT  poderá aplicar técnicas complementares de terapia manual até que você possa se autotratar.

O objetivo é ser o mais eficaz possível, no menor número de sessões.

Um tratamento que você pode fazer 5 a 6 vezes ao dia tem mais chances de ser eficaz num período mais curto de tempo do que um tratamento aplicado por um terapeuta de 1 a 2 vezes por semana.

O foco está em envolver o paciente no tratamento, dando a ele o máximo de autonomia possível. Isso pode diminuir o número de visitas à clínica, economizando seu tempo e dinheiro. Em resumo, a maioria dos pacientes pode se autotratar com sucesso quando lhes são fornecidas as informações e ferramentas necessárias.

Etapa 4. Prevenção

Aprendendo a autotratar o problema atual, você ganha conhecimento sobre como diminuir o risco de recorrências. Você saberá também lidar rapidamente com os sintomas se eles recorrerem, assumindo o controle do seu tratamento de maneira segura e eficaz. É mais provável que problemas persistentes sejam evitados com o autocuidado do que com tratamento passivo.

Depoimentos

É possível tratar dores musculoesqueléticas na coluna e nos membros de forma rápida e eficaz por meio do Método Mckenzie. Veja os relatos de pacientes sobre suas experiências com o tratamento.

“Uma solução eficaz, para problemas antigos. Creio que não há melhor forma de definir o Método Mckenzie. Através de uma interpretação apurada, Maria José consegue identificar e ensinar a técnica adequada a cada tipo de enfermidade, permitindo assim uma melhora substancial e gradativa das dores, mantendo o paciente independente, para continuar com a prevenção em casa.

Depois de muito rodar, tratei a minha dor lombar, rs… E você, o que está esperando para melhorar?

Gratidão por tudo!”

Ângelo C. Cabral - Teleconsulta - Itabira/MG

“Gostaria de deixar meu depoimento quanto ao Método  Mckenzie realizado pela excelente fisioterapeuta Dra. Maria José Queiroz.

Há vários anos vinha fazendo inúmeros tratamentos/procedimentos devido às constantes dores fortes e também à coluna ficar muito torta. Tive várias indicações de cirurgia. Após algumas sessões de Mckenzie, tenho levado uma vida normal sem as terríveis dores, pois tenho mantido os exercícios preventivos que aprendi a fazer.”

Dayve J. Vassalo
Mais depoimentos